Pular para o conteúdo principal

5 FONTES DE GORDURAS QUE NÃO FAZEM MAL


5 FONTES DE GORDURAS QUE NÃO FAZEM MAL


Publicado em 22 de Jul de 2016 por Kelly Miyazato

Que tal incluir no cardápio do dia a dia algumas opções de alimentos que podem ser aliados na hora de emagrecer e prevenir doenças? Aposte já em 5 fontes de gorduras que não fazem mal e ajudam a manter a saúde equilibrada



Veja 5 fontes de gorduras que não fazem mal
  • 1. Azeite

É fonte de gorduras monoinsaturadas. Possui “ácido oleico, que reduz o colesterol ruim”, diz a nutricionista Isabelle Mastelaro (SP). Use 3 col. (sopa) ao dia.
  • 2. Abacate
Até 50% das gorduras dele são ácidos monoinsaturados, enquanto o restante são ácidos graxos poli-insaturados. Ingira meia fatia pequena ao dia.

  • 3. Oleaginosas
Nozes, pistaches, castanhas etc. são ricas em ômegas 6 e 3, o que as torna calóricas. Consuma pequenas quantidades.

  • 4. Peixes
Alguns tipos são ricos em ômega 3, mas fique de olho na origem. “A sardinha e o salmão geralmente apresentam quantidades maiores de ácidos graxos”, considera Gabriel Cairo Nunes (SP). Consuma um filé médio três vezes na semana.

  • 5. Chia
Tem 30% de gorduras em sua composição, sendo rica em ácidos graxos poli-insaturados. Por ser rica em fibras, aumenta a saciedade e é aliada do emagrecimento. Consuma até 25 g ao dia.

*Por Natasha Franco | Foto Shutterstock | Fonte nutricionista Isabelle Masteralo e Gabriel Cairo Nunes | Adaptação Kelly Miyazzato.
Fonte:http://revistavivasaude.uol.com.br/nutricao/5-fontes-de-gorduras-que-nao-fazem-mal/6353/


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO PARA PREVENÇÃO E RISCOS NO CÂNCER

DIETA E CÂNCER  Qual o impacto da doença na saúde da população: No Brasil, a incidência de câncer se torna mais evidente à medida que ocorre o envelhecimento da população, resultado do processo de desenvolvimento econômico e social. Atualmente, o câncer é reconhecido como uma doença comum, representando a segunda principal causa de morte no país. Na faixa etária acima de 40 anos de idade é a principal causa de morte, sendo até 30% desses cânceres diretamente relacionados aos hábitos alimentares. FATORES DE RISCO PARA O CANCER  FumoDieta (rica em gorduras e carne vermelha)SedentarismoTrabalho em ambiente carcinogênicoHistória familiar para câncer
A dieta e a alimentação são considerados fatores de risco modificáveis, uma vez que os hábitos alimentares podem ser modificados através da adoção de um estilo de vida mais saudável. Mudanças na dieta que podem diminuir o risco de desenvolver câncer Atualmente, alguns alimentos contribuem para o desenvolvimento do câncer, enquanto outros podem con…

ORIGEM E HISTÓRIA DO VEGETARIANISMO

Definição Vegetarianismo ou vegetarismo é um regime alimentar baseado no consumo de alimentos de origem vegetal. Define-se como a prática de não comer qualquer tipo de animal, com ou sem uso de laticínios eovos[1][2] O vegetarianismo pode ser adotado por diferentes razões. Uma das principais é o respeito à vida dos animais. Tal motivação ética foi codificada em várias crenças religiosas juntamente com os direitos dos animais. Outras motivações estão relacionadas com a saúde, o meio ambiente, a estética e a economia. Existe uma grande variação de dietas vegetarianas em relação aos produtos que são ou não consumidos. A forma mais popular de vegetarianismo é o ovolactovegetarianismo, que exclui todos os tipos de carnes, mas inclui ovosleite e laticínios. Há também o lactovegetarianismo, que exclui todos os tipos de carne e também o ovo. Mas é consumido leite e os seus derivados. Outra forma de dieta vegetariana é o vegetarianismo estrito: neste, são excluídos todos os produtos de origem…

VEGANISMO OU MOVIMENTO VEGANO,AS RAZÓES ETÍCAS DO RESPEITO AOS DIREITOS DOS ANIMAIS E MEIO AMBIENTE

Veganismo é um movimento a respeito dos direitos animais e ambientais. Por razões éticas, os veganos são contra a exploração dos animais e do meio ambiente por meio da agropecuária. O boicote à atividades e produtos que são contra direitos dos animais e ambiente é uma das principais ações praticadas por quem adere ao movimento. Em 1997, três por cento dos Estados Unidos anunciaram não ter usado nenhum produto de origem animal nos últimos dois anos. Em 2007, dois por cento do Reino Unido se declararam como veganos. [1] O número de restaurantes veganos está crescendo, de acordo com o Oxford Companion to American Food and Drink (2007).[2] Tem sido mostrado que pessoas em dietas que incluem comidas de origem animal tem mais probabilidades de terem doenças degenerativas, principalmente doenças cardiovasculares.[3] A Associação Dietética Americana (The American Dietetic Association) e os Nutricionistas do Canadá (Dietitians of Canada) consideram a dieta vegana apropriada para todos os estági…