CONHEÇA OS TIPOS DE VEGETARIANISMO

Vegetais

Conheça os quatro tipos mais comuns de vegetarianismo

Eles exigem cuidados especiais e acompanhamento de um nutricionista

POR FERNANDO MENEZES 

Ao procurar por uma alimentação mais saudável, muitas pessoas cortam os alimentos conhecidos como inimigos da saúde, como a carne vermelha, e recorrem ao vegetarianismo. Mas, antes de excluir algumas opções de sua dieta, é importante saber quais cuidados devem ser tomados e quais tipos de vegetarianismos existem. "Há várias dietas nesse grupo, que têm suas especificidades e precisam de acompanhamentos especiais", explica a nutricionista Astrid Pfeiffer, autora do livro "A Cozinha Vegetariana", da Editora Alaúde. 

O vegetarianismo, assim como qualquer outro tipo de dieta, necessita do acompanhamento de um profissional para que seja realmente saudável. Veja os tipos mais comuns de vegetarianismo e os nutrientes que podem faltar nessa alimentação:

frango com legumes - Foto Getty Images

Dieta semivegetariana

Quem sempre incluiu carnes na dieta pode ter dificuldades para cortar totalmente esse alimento do cardápio. Por isso, muitas pessoas escolhem uma dieta menos restritiva, chamada dieta semivegetariana. "Os indivíduos que seguem essa alimentação limitam a ingestão de carne a, no máximo, três refeições da semana", diz a nutricionista. Com a continuidade no consumo de alimentos de origem animal, mesmo que seja em uma quantidade menor, a maioria das pessoas não precisam de suplementação de vitaminas, proteínas ou minerais. Mas a especialista adverte que, em alguns casos, a suplementação já pode ser aconselhada. "Não podemos pensar de maneira generalizada. Mesmo em uma dieta pouco estritiva como a semivegetariana, alguns indivíduos podem sofrer com a ausência de nutrientes. Por isso, antes de começar uma dieta, é essencial procurar um nutricionista", explica.
ovos, leite e queijos - Foto: Getty Images

Dieta ovolactovegetariana

As pessoas que aderem a essa dieta excluem da alimentação todos os tipos de carnes de animais, mas continuam ingerindo ovos, leite e seus derivados - iogurte, queijo, requeijão, entre outros. "Por ser uma alimentação mais fácil de seguir no meio social, a dieta ovolacovegetariana tem um grande número de adeptos", diz a nutricionista. O leite e seus derivados são importantes fontes de proteínas, lipídios, cálcio, ferro, potássio, magnésio, zinco e vitamina D. Por isso, quem adere a essa dieta normalmente não necessita de suplementação desses nutrientes.
alimentos consumidos na dieta vegetariana - Foto: Getty Images

Dieta vegetariana

Comumente associada à palavra vegetal, o nome vegetarianismo na verdade tem origem na palavra latina vegethus, que quer dizer força e vigor. Esse tipo exclui qualquer alimento de origem animal, como ovos, leite e todos os tipos de carne."Essa dieta, se feita da maneira correta, realmente diminui a chances de doenças e traz mais vigor ao corpo", diz a nutricionista.

Um estudo feito por pesquisadores da Cancer Research, no Reino Unido, afirma que adieta vegetariana ajuda a proteger contra o câncer. Depois de analisar os dados médicos de 52,7 mil pessoas, com idades de 20 a 89 anos, os cientistas concluíram que as pessoas que não ingerem carne têm uma probabilidade significativamente menor de sofrerem com cânceres de diversos tipos do que as pessoas que incluem carne em sua dieta.

Mesmo que o vegetarianismo estrito seja saudável, é preciso tomar cuidado para que alguns nutrientes encontrados na carne não faltem no organismo. Segundo a nutricionista Astrid Pfeiffer, a carne é fonte de todos os tipos de proteínas que o corpo precisa. Nenhum vegetal ou fruta pode substituí-la sozinho. Mas, ao colocar na dieta diferentes tipos de vegetais e frutas, é possível suprir essa ausência. Por isso, é importante não deixar de incluir cereais integrais, leguminosas, legumes, verduras, sementes e castanhas na dieta, já que eles contêm - juntos - todos os aminoácidos essenciais e não essenciais para o corpo.
mel - Foto: Getty Images

Dieta vegana

Muitas vezes confundidos com os vegetarianos, os veganos também tiram de sua alimentação todos os produtos de origem animal. Mas, além de carne bovina, peixes, aves, ovos e laticínios, eles não consomem mel e gelatina. "Uma pessoa vegana é vegetariana, mas vai além da alimentação, na verdade é um estilo de vida que não utiliza nada de origem animal", explica a nutricionista. Os veganos evitam também produtos de couro, lã, seda e de outros até menos óbvios que também são de origem animal, como óleos e secreções presentes em sabonetes, xampus, cosméticos, detergentes e perfumes. Como é o tipo mais estritivo de vegetarianismo, a dieta vegana precisa de ainda mais atenção a possível falta de nutrientes.
arroz e feijão - Foto Getty Images

Nutrientes que podem faltar: proteínas

Dois importantes aminoácios encontrados na carne são a metiolina e a lisina. Ao contrário do que muitos acham, a dieta vegetariana também é rica em aminoácidos e contém lisina e metionina. "O que acontece e que costuma causar confusão é que a carne contém os aminoácidos metionina e a lisina.juntos. Já os alimentos de origem vegetal não. Por isso, quem adota a dieta vegetariana precisa combinar alimentos que contenham esses dois aminoácidos ao longo do dia para obter a proteína", explica a nutricionista Astrid Pfeiffer. A metionina, segundo orienta a especialista, é encontrada no grupo dos grãos, como arroz integral, trigo em grão, quinoa, aveia, dentre outros. Já a lisina é encontrada em leguminosas, como o feijão, lentilha, ervilha, soja e grão de bico.
lentilha - Foto: Getty Images

Nutrientes que podem faltar: ferro

Os vegetarianos podem sofrer um risco maior de deficiência de ferro, já que as principais fontes são a carne vermelha e o fígado . No entanto, eles podem encontrar o mineral nas leguminosas, como feijão, lentilha, ervilha, soja e grão de bico, que podem ferro suprir as necessidades diárias desse de ferro. "Para otimizar a absorção do ferro pelo organismo é recomendado que se ingira também uma fonte de vitamina C, pois ela ajuda na absorção do mineral. Uma boa fonte é a acerola", ensina a nutricionista.
prato com salada e pílulas de suplemento - Foto Getty Images

Nutrientes que podem faltar: vitamina B12

Essa vitamina, encontrada apenas em alimentos de origem animal, principalmente na carne vermelha, é responsável pela manutenção do funcionamento dos sistemas nervoso e circulatório e da formação de células sanguíneas. "Esse é o único nutriente que os vegetarianos estritos realmente precisam de suplementação, já que não existem fontes que não sejam animais. Já os ovolactovegetarianos podem obter esta vitamina de ovos, leites e derivados", alerta Astrid Pfeiffer.
Fonte:http://www.minhavida.com.br/alimentacao/galerias/13440-conheca-os-quatro-tipos-mais-comuns-de-vegetarianismo/#carousel-galeria

Tipos de vegetarianos: entenda as principais diferenças entre os grupos de vegetarianos


Os vegetarianos se dividem em 4 grupos principais

Ovolactovegetarianos
Não consomem nenhum tipo de carne (nem frango, peixe ou frutos do mar), mas consomem laticínios e ovos. Este tipo de vegetarianismo é o mais comum, embora os produtos de origem animal aceitos neste tipo de dieta não sejam, de fato, vegetarianos . Quando alguém se declara vegetariano, quase sempre pertence a este grupo. As motivações que levam uma pessoa a ser ovolactovegetariana variam, mas quase sempre estão ligadas a compaixão com os animais. Por isso, grande parte dos ovolactovegetarianos passam a ser veganos.
Lactovegetarianos
Além de não consumir nenhum tipo de carne – como os ovolactovegetarianos -, os lactovegetarianos excluem também os ovos da dieta. Quase sempre este tipo de vegetarianismo está ligado à razões religiosas. É o tipo de vegetarianismo predominante em países como a Índia. Os produtos de origem animal aceitos neste tipo de dieta não são, de fato, vegetarianos. 
Vegetarianos estritos
Não consomem nenhum tipo de carne, laticínios ou ovos em sua alimentação.
Veganos
Por motivações éticas, não consomem nada de origem animal em nenhuma área de suas vidas. Alimentação, vestuário, espetáculos ou qualquer outro tipo de atividade que envolva sofrimento animal é excluída da vida de uma pessoa vegana. O veganismo é uma postura política e não uma dieta. Para os veganos, é importante mostrar sua filosofia de vida às empresas, através de boicote a produtos e serviços obtidos com sofrimento de animais. Produtos com qualquer ingrediente ou insumo de origem animal ou ainda testados em animais são riscados da lista de compras veganas. Entre os produtos não utilizados pelos veganos estão o couro (pele), a gelatina (tendões e cartilagens), a , omel, corantes feitos à base de animais como o “Carmim de Cochonilha / INS 120 e outros insumos da indústria derivados de animais.
Existem outros termos como “semivegetarianos” e “pescovegetarianos”, que não são reconhecidos como termos vegetarianos. Entre os veganos, existem ainda os “frugívoros”, que só se alimentam de frutos. Outro grupo de vegetarianos conhecido é o “crudívoro”, que só se alimenta de alimentos crus, muitas vezes germinados. Os crudívoros não são, necessariamente, veganos. A motivação mais comum entre os crudívoros é a saúde e não é raro encontrar crudívoros que consomem mel e outros produtos de origem animal. Existem também os “ovovegetarianos”, que não consomem nenhum tipo de carne nem laticínios mas consomem ovos e derivados.
Escrita e pronúncia
Os termos “ovolactovegetariano” e “lactovegetariano” são escritos assim, sem hífem, de acordo com a Academia Brasileira de Letras (pesquise aqui). O termo “vegano” se pronuncia exatamente como se lê: “vê-gã-no”. Esta palavra vem do termo inglês “vegan”, que pronuncia-se “ví-gãn”.
Fonte:https://vista-se.com.br/tipos-de-vegetarianos-entenda-as-principais-diferencas-entre-os-grupos-de-vegetarianos/
Vegetarianismo

De forma genérica, vegetariano é o indivíduo que não utiliza nenhum tipo de carne (vermelhas ou brancas) na sua dieta.
Vegetarianismo é sinônimo de alimentação sem carne. Essa é a característica comum de todos os vegetarianos.
O vegetariano pode ou não utilizar derivados animais na sua alimentação.
Ovo-lactovegetariano: é o vegetariano que utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação.
Lactovegetariano: é o vegetariano que não utiliza ovos, mas faz uso de leite e laticínios.
Vegetariano estrito: é o vegetariano que não utiliza nenhum derivado animal na sua alimentação. É também conhecido como vegetariano puro.
Vegano: é o indivíduo vegetariano estrito que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais. Em inglês você vai encontrar o termo "vegan" como referência a esse indivíduo. No Brasil esse termo foi traduzido como vegano.
Crudivorista: é, na grande maioria dos casos, um vegetariano estrito que utiliza alimentos crus, ou aquecidos no máximo a 42oC. Alguns podem aceitar leite cru e carne crua também, descaracterizando o termo vegetariano estrito. A utilização de alimentos em processo de germinação (cereais integrais, leguminosas e olegainosas) é comum nessa dieta. Diferente do que se pode imaginar, essa dieta apresenta preparações bastante sofisticadas e saborosas.
Frugivorismo: vegetariano estrito que utiliza apenas frutos na sua alimentação. O conceito de "frutos", nesse caso, segue a definição botânica, que inclui os cereais, alguns legumes (abobrinha, beringela...), oleaginosos e as frutas.
Macrobiótico: designa uma forma de alimentação que pode ou não ser vegetariana. O macrobiótico tem um tipo de alimentação específica, baseada em cereais integrais, com um sistema filosófico de vida bastante peculiar e caracterizado. A dieta macrobiótica, diferentemente das vegetarianas, apresenta indicações específicas quanto à proporção dos grupos alimentares a serem utilizados. Essas proporções seguem diversos níveis, podendo ou não incluir as carnes (geralmente brancas). A macrobiótica não recomenda o uso de leite, laticínios ou ovos.
Semi-vegetariano: indivíduo que faz uso de carnes, geralmente brancas, em menos de 3 refeições por semana. Alguns consideram essa terminologia quando em apenas uma refeição por semana. Esse termo ganha importância nos estudos científicos, na comparação dos efeitos à saúde entre vegetarianos e onívoros, já que, teoricamente, o semi-vegetariano consome carne, mas menos do que um onívoro. Atenção: esse indivíduo não é vegetariano.
Onívoro: é o indivíduo que aceita qualquer tipo de alimento na sua dieta.
Fonte : Site "Alimentação Sem Carne" do Dr. Eric Slywitch.

CULINÁRIA BÁSICA ONLINE (5 minutos)


Fonte:http://www.natureba.com.br/tipos-vegetarianos.htm


Sobre os Tipos de Vegetarianos


Tipos de Vegetariano
De forma genérica, vegetariano é o indivíduo que não utiliza nenhum tipo de carne (vermelhas ou brancas) na sua dieta.


Vegetarianismo é sinônimo de alimentação sem carne. Essa é a característica comum de todos os vegetarianos.


O vegetariano pode ou não utilizar derivados animais na sua alimentação.


Ovo-lactovegetariano: é o vegetariano que utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação.


Lactovegetariano: é o vegetariano que não utiliza ovos, mas faz uso de leite e laticínios.


Vegetariano estrito: é o vegetariano que não utiliza nenhum derivado animal na sua alimentação. É também conhecido como vegetariano puro.


Vegano: é o indivíduo vegetariano estrito que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais. Em inglês você vai encontrar o termo "vegan" como referência a esse indivíduo. No Brasil esse termo foi traduzido como vegano.


Crudivorista: é, na grande maioria dos casos, um vegetariano estrito que utiliza alimentos crus, ou aquecidos no máximo a 42oC. Alguns podem aceitar leite cru e carne crua também, descaracterizando o termo vegetariano estrito. A utilização de alimentos em processo de germinação (cereais integrais, leguminosas e olegainosas) é comum nessa dieta. Diferente do que se pode imaginar, essa dieta apresenta preparações bastante sofisticadas e saborosas.


Frugivorista: vegetariano estrito que utiliza apenas frutos na sua alimentação. O conceito de "frutos", nesse caso, segue a definição botânica, que inclui os cereais, alguns legumes (abobrinha, beringela...), oleaginosos e as frutas.


Macrobiótico: designa uma forma de alimentação que pode ou não ser vegetariana. O macrobiótico tem um tipo de alimentação específica, baseada em cereais integrais, com um sistema filosófico de vida bastante peculiar e caracterizado. A dieta macrobiótica, diferentemente das vegetarianas, apresenta indicações específicas quanto à proporção dos grupos alimentares a serem utilizados. Essas proporções seguem diversos níveis, podendo ou não incluir as carnes (geralmente brancas). A macrobiótica não recomenda o uso de leite, laticínios ou ovos.


Semi-vegetariano: indivíduo que faz uso de carnes, geralmente brancas, em menos de 3 refeições por semana. Alguns consideram essa terminologia quando em apenas uma refeição por semana. Esse termo ganha importância nos estudos científicos, na comparação dos efeitos à saúde entre vegetarianos e onívoros, já que, teoricamente, o semi-vegetariano consome carne, mas menos do que um onívoro. Atenção: esse indivíduo não é vegetariano!


Onívoro: é o indivíduo que aceita qualquer tipo de alimento na sua dieta.

Fonte: Alimentação Sem Carne, do Dr. Eric Slywitch


Quais são os tipos de vegetarianismo?

Conheça os Tipos de Vegetarianos e Suas Diferenças

Para aqueles interessados em parar de comer carne é comum haver certa confusão quanto às dietas possíveis e os diferentes tipos de vegetarianos. Obviamente, a escolha que se faz quanto aos alimentos que serão restringidos serve para delimitar as quatro categorias principais de vegetarianos. Essas categorias também definem o que não cabe em nenhuma delas, ainda que exista alguma forma de exclusão do consumo de animais.
De modo geral, o vegetarianismo consiste na restrição alimentar de todos os tipos de carnes. Ou seja, vegetarianos têm em comum o fato de não consumirem peixes, carnes vermelhas (carnes de mamíferos) ou brancas (geralmente aves) e outros animais marinhos. As diferenças começam, principalmente, na alimentação ou não de produtos que têm origem animal, como ovos, leites, queijos, iogurtes, gelatinas e outros.
As razões para adotar o vegetarianismo podem ser diversas, e a explicação pode ir da objeção ao consumo de seres com algum nível de consciência, razões de saúde, uma escolha política, por justificativas ambientais ou culturais, motivos econômicos ou mesmo pela mera vontade de perder peso e manter um certo tipo de corpo.

Tipos de vegetarianos e suas diferenças 

A alimentação vegetariana faz parte de um grande debate. Entretanto, sempre existe concordância sobre quais são os quatro tipos de vegetarianos fundamentais, que se tornam a base de comparação de todas as demais classificações. Definimos abaixo estes tipos de vegetarianos (também chamados de níveis de vegetarianismo) e suas principais características.

1. Ovolactovegetarianos

A categoria mais moderada de vegetariano, ela é definida por conter restrições a todos os tipos de carne (não se come frango, peixe, frutos do mar ou carnes vermelhas), mas ainda permite o consumo de laticínios e ovos. É o tipo mais comum de vegetarianismo, principalmente porque permite uma alimentação mais abrangente e que não necessita de tantos malabarismos ou inovações no momento das refeições.

2. Lactovegetarianos

Tampouco consomem qualquer tipo de carne, assim como os ovolactovegetarianos. A diferença está no fato de que excluem de sua alimentação os ovos e qualquer produto que os contenha, mas ainda se alimentam de laticínios. Está principalmente ligado à razões religiosas e, mesmo por isso, é predominante em países como a Índia.

3. Vegetarianos

Categoria que dá nome à classe, os vegetarianos não consomem nenhum tipo de carne e ainda retiram de sua dieta os laticínios, ovos e todos os produtos derivados de ambos.

4. Veganos

Além de não consumirem nenhum tipo de carne e muito menos laticínios, ovos e produtos derivados de animais – como bolos que utilizam leite e ovos, e alimentos como gelatina e mel – os veganos não fazem uso de nada que tenha origem animal em todas as áreas de sua vida, e não somente na alimentação.
A origem da decisão costuma ser por motivos éticos, e excluem sua participação de qualquer espetáculo ou atividade que envolva algum tipo de sofrimento animal. Isto é expandido, ainda, para o vestuário, e veganos evitam utilizar tecidos como a seda e o couro.
Dos quatro tipos de vegetarianos, este é o mais político, envolvendo muito mais uma filosofia de vida do que somente uma escolha alimentar. Veganos tampouco fazem uso de cosméticos e outros produtos que façam testes em animais.
Uma ramificação dos veganos são os frugíveros, que se alimentam somente de frutos.
O que fazer, porém, daqueles que restringem suas alimentações a somente alguns tipos de carne, ou mesmo a formas específicas de preparo?
A partir desde ponto as definições ficam um pouco mais complexas e, ao mesmo tempo, são foco de um debate maior. Ainda que alguns não considerem estas categorias como pertencentes à classe dos vegetarianos, muitos discordam desta posição. É inegável, porém, a importância de conhecer estas outras classificações que são motivo de discórdia entre os defensores do não-consumo de carnes.
– “Semivegetarianos”
Nesta categoria, cabem aquelas pessoas que se denominam como pescovegetarianos – que evitam todos os tipos de carne exceto peixes e frutos do mar. Também é possível enquadrar aqui aqueles que possuem uma dieta majoritariamente ovolactovegetariana e que, ocasionalmente, ainda consomem carne.
– “Ovovegetarianos”
Os ovovegetarianos se caracterizam por não consumirem laticínios e alimentos que contenham esses produtos, como leite, manteiga e queijos. Ainda assim, consomem ovos e derivados.
– “Crudívoros”
Os crudívoros são aqueles que só consomem os alimentos in natura, portanto, só os comem crus. Eles não necessariamente se encaixam na categoria de veganos, uma vez que existem crudívoros que se alimentam de mel e outros produtos animais.

Cuidados

É preciso cuidado na hora de implementar qualquer tipo de restrição alimentícia em sua dieta, e a opção por uma vida vegetariana não foge à regra. Assim, é importante consultar um médico ou nutricionista a fim de discutir quais as maneiras corretas de substituir os nutrientes e substâncias encontradas nas carnes, especialmente as proteínas.
Caso exista a opção por tipos de vegetarianos com maiores limitações, os produtos de origem animal que são excluídos da dieta também devem ser considerados e discutidos com esses profissionais da saúde, uma vez que podem ser fontes importantes de cálcio e ferro que farão falta sem a devida manutenção.
De resto, vale lembrar que o vegetarianismo é uma escolha, e quem decide o que evitar ou incluir em sua alimentação é você mesmo, junto com seu médico. Não é necessário estar incluído estritamente em nenhum dos tipos de vegetarianos possíveis, ainda que estas classificações ajudem a refletir e definir objetivos de curto a longo prazo para si mesmo. O mais importante é tomar uma decisão consciente e, principalmente, cuidadosa para que não haja efeitos indesejados para a saúde.

Atenção

Caso não haja acompanhamento nutricional ou médico, o indivíduo que opta pelo vegetarianismo pode sofrer com a deficiência de diversas substâncias importantes para a manutenção da saúde. As deficiências nutricionais podem ser amplas se houver descaso com a alimentação e não existir um acompanhamento médico.
Alguns exemplos são: deficiência proteica, de ferro, de vitaminas (especialmente as vitaminas D e B12), de cálcio e de zinco, além do possível excesso no consumo de carboidratos, não devem ser ignorados, especialmente por aqueles que buscam uma vida saudável.
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)
Fonte:http://www.mundoboaforma.com.br/conheca-os-tipos-de-vegetarianos-e-suas-diferencas/



Tipos de vegetariano

Vegetariano: o vegetarianismo inclui o veganismo e define-se como a prática de não comer carne (aves, peixe, ovelha etc.) nem seus subprodutos (bacon, salsicha, presunto etc.), com ou sem uso de laticínios e ovos. O vegetariano não come nada que implique em tirar a vida de um animal. O regime vegetariano não é, pois, exclusivamente vegetal e seu nome não se origina de alimentação vegetal e, sim, do latim vegetus que significa "forte", "vigoroso", "saudável". 
Subdivididos muitas vezes em ovo-lacto e lacto, os vegetarianos podem tentar ou não reduzir seu uso de produtos animais não alimentícios, como fazem os veganos. 
Ovo-lacto-vegetariano: não consome nenhum tipo de carne, mas inclui ovos e leite (e derivados, como queijo, iogurte etc.) em sua alimentação. Esta é a forma mais "popular" de vegetarianismo. 
Lacto-vegetariano: não consome nenhum tipo de carne, mas inclui leite e derivados do leite (laticínios).
Vegano:  os veganos excluem de sua alimentação todos os produtos de origem animal.  Além de carnes, peixes, aves, laticínios (leite, manteiga, queijo, iogurte etc.), excluem ovos, mel, gelatina etc. Os veganos evitam o uso de couro, lã, seda e de outros produtos menos óbvios de origem animal, como óleos e secreções presentes em sabonetes, xampus, cosméticos, detergentes, perfumes, filmes etc. 
O veganismo é mais um estilo de vida do que apenas uma opção alimentar. Esta opção é seguida como um princípio, pois é quase impossível ser 100% vegano, pois nesse caso o vegano não poderia ir ao cinema nem bater fotografias  (porque no filme tem gelatina), não poderia andar de carro ou de ônibus, porque os pneus contêm  produtos de origem animal, muitas vezes os bancos são de couro etc.
Veg: apelido resumido de vegetariano; costuma incluir os veganos.
Vegetariano estrito: originalmente o mesmo que vegano; agora pode significar vegano ou vegetariano.
Crudívoro: o crudivorismo admite apenas a ingestão de alimentos crus.
Frugívoro (ou frutívoro ou frutariano): sistema alimentar que admite apenas o consumo de fruas na alimentação.
Freegano - o freegano (uma corruptela deliberada da palavra vegano) come aquilo que encontra no lixo. Apesar de os freeganos serem mais radicais que os veganos ao se recusarem a comprar qualquer tipo de alimento, eles também são mais flexíveis, já que não têm objeções éticas a comer produtos animais que foram jogados fora. Eles querem evitar dar dinheiro àqueles que exploram os animais. Uma vez que um produto foi descartado, não faz diferença para o produtor se o alimento é consumido ou incinerado. Alguns freeganos continuam não gostando da idéia de comer um cadáver e – apesar de estarem dispostos a comer alimentos de latas de lixo – eles são bem informados sobre a contaminação fecal na carne e compreendem os riscos à saúde envolvidos em comer qualquer coisa que tenha passado por um abatedouro.


Fonte:http://www.vegetarianismo.com.br/
sitio/index.php?


O que vai determinar o tipo de vegetarianismo adotado é a exclusão ou a inclusão dos produtos derivados de animais (ovos e lácteos).
As diferentes formas de vegetarianismo são ilustradas na tabela 1 e divididas a saber:
Ovo – lacto – vegetariano: não consome nenhum tipo de carne, porém consome ovos, leite e derivados. Em geral, quando uma pessoa diz que é vegetariana, é essa dieta que ela segue.
Lacto – vegetariano: não consome nenhum tipo de carne e ovos. Mas consome leite e derivados.
Ovo – vegetariano: não consome nenhum tipo de carne, leite e derivados. Mas consome ovos.
Vegetariano estrito: não consome nenhum tipo de carne, leite e derivados e ovos.
Vegano (Vegan): não consome nenhum tipo de carne, leite, laticínios, ovos, mel, não usam produtos que sejam de couro, camurça, peles, seda, e procura sempre usar produtos cosméticos que não sejam testados em animais.
Semi-vegetariano: é considerado o indivíduo que come carne (geralmente branca) em menos de três refeições por semana.
As dietas não-vegetarianas, nas quais o consumo de carne é frequente, são denominadas dietas onívoras (AMERICAN DIETETIC ASSOCIATION, 2003).
Diante de tantas derivações, é necessário avaliar individualmente o vegetariano para se saber com precisão qual a qualidade nutricional de sua dieta. Pois a dieta ideal de cada pessoa é única e varia segundo fatores como a idade, sexo, clima, atividade, secreções endócrinas, superfície corporal, condições fisiológicas, modo de vida, seus objetivos, seu desenvolvimento, grau evolutivo, etc. (WINCKLER, 2004).
Os diferentes tipos de dietas vegetarianos e os alimentos que as compõe se ilustram a seguir na tabela 1:
Tabela 1
Tabela de alimentos utilizados para dietas específicas
Tipos de dietasAlimentos Utilizados
CarnesOvosLaticíniosCereais, leguminosas, Oleaginosas, sementes, amiláceos, frutas, legumes e verdura.
OvolactovegetarianaNãoSimSimSim
LactovegetarianaNãoNãoSimSim
OvovegetarianaNãoSimNãoSim
Vegetariana estritaNãoNãoNãoSim
SemivegetarianaSimSimSimSim
OnívoraSimSimSimSim
Fonte: SLYWITCH, 2006.

VEGETARIANOS ESTRITOS E VEGANS
Os vegetarianos estritos excluem de sua alimentação carnes, peixes, aves, laticínios (leite, manteiga, queijo, iogurte, etc.), ovos, mel, gelatina, etc. Já os vegans, além de não consumirem nenhum alimento de origem animal também evitam, sempre que possível, o uso de couro, lã, seda e pele, e de outros produtos de origem animal, como óleos e secreções, presentes em sabonetes, xampus, cosméticos, detergentes, perfumes, filmes etc. (WINCKLER, 2004).
Por envolver todos esses fatores, o veganismo não é considerado somente uma dieta, mas sim um estilo de vida complexo, no qual uma série de características distintas estão envolvidas; tanto características externas (por exemplo padrões de consumo) como internas (considerações éticas amplas).
Os vegans não só não consomem alimentos de origem animal, mas também se preocupam em não usar roupas que foram feitas de animais, frequentar rodeios, circos que façam apresentação com animais e etc. (SOCIEDADE VEGETARIANA CHILENA, 2008).
Quase 3% da população afirma nunca comer carnes, aves, peixes ou frutos do mar. Evitar carnes e peixe costumava ser o limite de qualquer pessoa. Agora, os vegetarianos estritos, que não consomem nenhum tipo de produto animal, são tão comuns quanto os vegetarianos já foram um dia (SINGER, 2007).
Os vegans dizem que é mais saudável, tanto para nós mesmos quanto para o planeta, evitar comer produtos de origem animal. Os vegans consideram seu estilo de vida como fundamental para se considerar que são pessoas que tem ética e moral. Tendo a consciência de que suas ações têm consequências, percebem o impacto que suas ações têm sobre o mundo e restringem, portanto o máximo que podem atitudes que poderiam interferir na harmonia de qualquer ser e do planeta. Eles resumem essa ideologia em uma conhecida frase: “Se você quer mudar o mundo, mude a você mesmo” (SOCIEDADE VEGETARIANA CHILENA, 2008).
Quanto a ser saudável ou não seguir uma alimentação vegetariana estrita as opiniões são controversas.
A American Academy of Pediatrics, (academia norte-americana de pediatria), afirmou que as dietas vegetarianas estritas podem promover o crescimento normal das crianças. A American Dietetic Association diz que “Uma dieta vegetariana estrita bem planejada e outros tipos de dietas vegetarianas são adequadas para todas as fases do ciclo de vida, incluindo gravidez, lactação, infância e adolescência“,
Mas, para essas afirmações se realizarem na prática, vegetarianos estritos necessitam maior atenção para que não desenvolvam deficiências nutricionais, o que resultaria em efeitos negativos para a saúde e, consequentemente, para o desempenho atlético, para aqueles que praticam algum esporte. Vegetarianos estritos devem estar atentos a alguns micro nutrientes, em especial a vitamina B12, cálcio e ácidos graxos Ômega 3. Mas os vegetarianos estritos costuma consumir comidas que são fortificadas com estes nutrientes. Em alguns casos, minerais como o ferro e o zinco podem se apresentar em menor quantidade devido a baixa biodisponibilidade destes nutrientes na dieta vegetariana estrita (CRAIG, 2009).
Os vegetarianos estritos, como já citado, podem alcançar todos os nutrientes e ter uma dieta balanceada. Pois é seguro seguir uma alimentação vegetariana estrita, contanto que o adepto seja cuidadoso em relação à alimentação (SINGER, 2007; FERREIRA, BURINE e MARIA, 2006).
Se a dieta for bem plenejada, os vegetarianos estritos costumam ser mais magros, apresentar menor pressão sanguínea e menor nível de colesterol, tendo assim menos risco de adquirir uma doença cardíaca (CRAIG, 2009).
Fonte:https://nutricaovegetariana.wordpress.com/category/tipos-de-vegetarianismo/



diferencas-vegetarianos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

IMPERDÍVEL - ADQUIRA O BELO LIVRO "CIRURGIA VERDE-CONQUISTE A SAÚDE PLENA PELA ALIMENTAÇÃO À BASE DE PLANTAS" DO DR.ALBERTO P. GONZALEZ

VEGETARIANISMO - HISTÓRIAS COM OSHO

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA DIETA VEGETARIANA E COMO LIDAR COM ELES ?