Pular para o conteúdo principal

OS 8 MELHORES CARBROIDRATOS PARA QUEM QUER EMAGRECER

Os 10 melhores carboidratos para quem quer emagrecer (Foto: Thinkstock)
Carboidratos muitas vezes são considerados os vilões das dietas de emagrecimento – mas a verdade é que, quando consumidos na medida certa, eles são ótimos aliados na perda de peso. Quer saber quais são os alimentos ricos em carboidrato que darão um boost na sua dieta? Confira:
1. CEVADA
A cevada pode ter a capacidade de aumentar os níveis de um hormônio ligado à saciedade, além de, segundo estudo realizado na Suécia, descobriu-se que grãos de cevada, quando cozidos (e não na cerveja, ok?), podem mudar bactérias no seu intestino, que por sua vez podem acelerar o metabolismo. Os pesquisadores também descobriram que este amido rico em fibra "diminui as sensações de fome." Inclua a cevada em itens como panquecas, waffles, sopas e saladas.

2. AVEIA EM FLOCOS
Quando consumida em forma de mingau, a aveia tem uma reputação de comidinha aconchegante, comfort food – o que significa que, na hora de excluir carboidratos da dieta, é o primeiro prato a ser eliminado. Mas Shira Lenchewski, nutricionista baseada em Los Angeles, discorda: ela diz que seus carboidratos complexos não somente te deixarão mais satisfeita, mas também irão manter a saciedade por mais tempo. Combine o mingau com canela para um efeito ainda mais gostoso e saudável!
3. PIPOCA
Quem precisa de batatas fritas?  Substitua o viciante petisco por uma bela dose de pipoca.
Um estudo revelou que, comparando os dois pratos, a pipoca mantém as pessoas saciadas por muito mais tempo, além de fornecer muito mais nutrientes e muito menos calorias que as french fries. Além disso, o milho carrega quase o dobro de fibra que outros grãos, além de manter os níveis de açúcar no sangue em equilíbrio e dar um up no metabolismo.

4. QUINOA
Um dos grãos com maior quantidade de fibra, a quinoa demora para ser digerida, mantendo os níveis de açúcar no sangue em equilíbrio (e aumentando seu metabolismo). Além disso, em comparação a outros alimentos sem glúten, é cientificamente comprovado que a quinoa ajuda na perda de peso.

5. GRÃO DE BICO
Repletas de fibra e proteína, o grão de bico é ótimo acompanhamento para saladas.  Um estudo publicado em 2014 revela que a família de legumes que inclui grão de bico, ervilha, feijão e lentilha ajuda na manutenção do peso e previne a alimentação por impulso.
6. PÃO KNÄCKEBRÖD
Quando vier aquela vontade de comer um carboidrato crocante (como biscoitos, por exemplo), o pão knäckebröd é a melhor opção para fazer um lanchinho sem sair da dieta. Além do ótimo sabor, ele é rico em fibras, baixo em sódio e 100% livre de gorduras, além de comprovadamente ser um regulador de apetite.

7. BATATA DOCE
Além de saciar a vontade de comer carboidrato, a batata doce também sacia a vontade de comer alimentos açucarados. Uma batata de tamanho médio contém cerca de 27 gramas de carboidrato, mas também aumenta os níveis de adiponectina, um hormônio que controla os níveis de açúcar no sangue e acelera o metabolismo. Para completar, a batata doce contém menos calorias e menos sódio que as batatas inglesas.
8. CEREAL MATINAL INTEGRAL
Cereais integrais são naturalmente pobres em gorduras e ricos em fibras, além de naturalmente reduzir a gordura abdominal (se consumidos em quantidades equilibradas). Um estudo revelou que homens e mulheres que consomem mais alimentos integrais têm IMC menor que os demais, além de menor gordura abdominal.


Fonte:http://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/2015/07/os-8-melhores-carboidratos-para-quem-quer-emagrecer.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO PARA PREVENÇÃO E RISCOS NO CÂNCER

DIETA E CÂNCER  Qual o impacto da doença na saúde da população: No Brasil, a incidência de câncer se torna mais evidente à medida que ocorre o envelhecimento da população, resultado do processo de desenvolvimento econômico e social. Atualmente, o câncer é reconhecido como uma doença comum, representando a segunda principal causa de morte no país. Na faixa etária acima de 40 anos de idade é a principal causa de morte, sendo até 30% desses cânceres diretamente relacionados aos hábitos alimentares. FATORES DE RISCO PARA O CANCER  FumoDieta (rica em gorduras e carne vermelha)SedentarismoTrabalho em ambiente carcinogênicoHistória familiar para câncer
A dieta e a alimentação são considerados fatores de risco modificáveis, uma vez que os hábitos alimentares podem ser modificados através da adoção de um estilo de vida mais saudável. Mudanças na dieta que podem diminuir o risco de desenvolver câncer Atualmente, alguns alimentos contribuem para o desenvolvimento do câncer, enquanto outros podem con…

ORIGEM E HISTÓRIA DO VEGETARIANISMO

Definição Vegetarianismo ou vegetarismo é um regime alimentar baseado no consumo de alimentos de origem vegetal. Define-se como a prática de não comer qualquer tipo de animal, com ou sem uso de laticínios eovos[1][2] O vegetarianismo pode ser adotado por diferentes razões. Uma das principais é o respeito à vida dos animais. Tal motivação ética foi codificada em várias crenças religiosas juntamente com os direitos dos animais. Outras motivações estão relacionadas com a saúde, o meio ambiente, a estética e a economia. Existe uma grande variação de dietas vegetarianas em relação aos produtos que são ou não consumidos. A forma mais popular de vegetarianismo é o ovolactovegetarianismo, que exclui todos os tipos de carnes, mas inclui ovosleite e laticínios. Há também o lactovegetarianismo, que exclui todos os tipos de carne e também o ovo. Mas é consumido leite e os seus derivados. Outra forma de dieta vegetariana é o vegetarianismo estrito: neste, são excluídos todos os produtos de origem…

VEGANISMO OU MOVIMENTO VEGANO,AS RAZÓES ETÍCAS DO RESPEITO AOS DIREITOS DOS ANIMAIS E MEIO AMBIENTE

Veganismo é um movimento a respeito dos direitos animais e ambientais. Por razões éticas, os veganos são contra a exploração dos animais e do meio ambiente por meio da agropecuária. O boicote à atividades e produtos que são contra direitos dos animais e ambiente é uma das principais ações praticadas por quem adere ao movimento. Em 1997, três por cento dos Estados Unidos anunciaram não ter usado nenhum produto de origem animal nos últimos dois anos. Em 2007, dois por cento do Reino Unido se declararam como veganos. [1] O número de restaurantes veganos está crescendo, de acordo com o Oxford Companion to American Food and Drink (2007).[2] Tem sido mostrado que pessoas em dietas que incluem comidas de origem animal tem mais probabilidades de terem doenças degenerativas, principalmente doenças cardiovasculares.[3] A Associação Dietética Americana (The American Dietetic Association) e os Nutricionistas do Canadá (Dietitians of Canada) consideram a dieta vegana apropriada para todos os estági…