Pular para o conteúdo principal

ALIMENTOS COM POTENCIAL INFLAMATÓRIO : CONHEÇA OS GRANDES VILÕES DA SAÚDE

euatleta coluna cris alimentação vilão dieta  (Foto: Getty Images)

Alimentos com potencial inflamatório: conheça os grandes vilões da saúde

15/04/2016 08h09 - Atualizado em 15/04/2016 08h09

Praticar exercícios físicos regularmente, controlar a ansiedade e estresse diários são medidas que, aliadas a uma alimentação balanceada, podem prevenir graves doenças


A manutenção do estilo de vida saudável é um grande protetor da saúde. O programa alimentar deve ser rico em frutas, hortaliças e alimentos integrais, apresentando teor energético capaz de manter o peso corporal adequado. Sair do sedentarismo, praticar exercícios físicos regularmente, controlar a ansiedade e estresse diários são medidas que, aliadas à uma alimentação balanceada, podem prevenir inflamações. 
A inflamação pode ser definida como o conjunto de alterações bioquímicas, fisiológicas e imunológicas em resposta a estímulos “agressivos” ao organismo. Alguns exemplos de agentes causadores de inflamações são:

- Má alimentação ou alimentação desbalanceada: baixa ingestão de frutas/verduras e legumes; alta ingestão de comidas processadas/ congeladas/ industrializadas; excesso de frituras, gorduras saturadas e gordura trans;
- Estresse do dia a dia;
- Sedentarismo;
- Prática esportiva: o treinamento de força gera uma “lesão” que deve ser reparada. Em treinos aeróbicos, quanto maior a intensidade e a duração dos treinos, maior é a resposta inflamatória. O corpo possui mecanismos para gerar adaptações a esta “inflamação”, entretanto alguns alimentos potencializam a recuperação das fibras musculares;
- Poluição;
- Doenças crônicas não-transmissíveis: diabetes, obesidade, câncer, doenças cardíacas, doenças intestinais (síndrome do cólon irritável, retocolite, diarreia...), doenças reumáticas, entre outras.

ômega 3 euatleta (Foto: Agência Getty Images)Alimentos ricos em ômega 3 como peixes e nozes têm ação anti-inflamatória global (Foto: Getty Images)

Alimentos com potencial anti-inflamatório que devem ter o consumo estimulado:

1.Ômega 3
Atua na saúde do aparelho cardiovascular (redução do LDL, aumento do HDL), na função cerebral e tem ação anti-inflamatória global. Peixes (salmão, anchova, sardinha, cavala, atum, bacalhau, arenque), sementes (linhaça e chia), nozes e castanha. 
 
2. Gordura monoinsaturada (ômega- 9)  
É benéfica porque desinflama, reduz o LDL (“colesterol ruim”) e aumenta o HDL (“colesterol bom”). Presente no azeite de oliva, óleo de gergelim, amêndoa, castanha de caju, castanha do Pará, amendoim e abacate. 

3. Frutas, verduras e legumes 
São fontes de fibras, vitaminas, minerais e compostos bioativos. Compostos bioativos são substâncias presentes em frutas, verduras e legumes que favorecem a nossa saúde e previnem doenças. Exemplos: os polifenóis - ácido elágico, pigmentos como carotenoides e licopeno, catequinas, antocianinas, resveratrol...

- Alimentos da cor verde: folhosos verde escuro. Fonte de fibras, betacaroteno, ferro, ácido fólico, potássio e vitamina K.
- Alimentos alaranjados: mamão, caju, damasco, caqui. Fontes de betacaroteno/ vitamina A e vitamina C
- Alimentos vermelhos:  morango, tomate, cereja, melancia, cranberry, goiaba. Fontes de licopeno, vitamina C , antocianinas e ácido elágico
- Alimentos roxos: uva roxa, ameixa, mirtilo, jabuticaba. Fontes de antocianina e resveratrol
- Alimentos brancos e amarelados: Fontes de vitamina A/ betacaroteno, vitamina C, Fibras, vitamina K, antocianinas, ácido elágico

4. Resveratrol
É uma fitoalexina presente em espécies vegetais, principalmente nas uvas, amoras e amendoins. Possui propriedades quimiopreventivas, antioxidantes, antiplaquetárias, antifúngicas, anti-inflamatórias, cardioprotetoras. Presente principalmente nas uvas e alimentos arroxeados.

5. Ervas, condimentos e especiarias
Cúrcuma (açafrão), canela, cacau, gengibre, alho, pimenta, orégano, entre outros. Possuem compostos bioativos, função antioxidante e anti-inflamatória.

Manteiga, margarina e creme vegetal euatleta (Foto: Getty Images)Gordura saturadas é encontrada principalmente em alimentos de origem animal (Foto: Getty Images)

Alimentos com potencial inflamatório que devem ter o consumo evitado:

1. Ácidos Graxos Saturados e Trans
Vários estudos têm associado níveis de biomarcadores inflamatórios ao consumo de dietas com alto conteúdo de ácidos graxos saturados e de gorduras trans.

2. Gordura saturada 
Encontrada principalmente em alimentos de origem animal (carnes gordurosas, leite, manteiga, bacon, toucinho, queijos), e em alimentos de origem vegetal como coco, óleo de coco, dendê. A gordura saturada de origem animal contribui para a inflamação por conter ácido araquidônico. Já o tipo de gordura presente no coco não teria este risco. 

3. Gordura trans
A grande vilã. Não existe na forma natural, é uma gordura produzida por modificação química nos óleos vegetais, margarina sólida e alimentos preparados com óleos e margarina, como biscoitos, salgadinhos, congelados industrializados, empanados e frituras em geral. Altamente pró-inflamatória, aumenta o LDL e reduz o HDL, além de acelerar a produção de radicais livres. Exemplos: frituras, açúcar refinado, carnes processadas (salsicha, salame, mortadela, etc) alimentos preparados em altas temperaturas (frituras, torrados, defumados, queimados em churrasco ou no forno), corantes alimentares artificiai e excesso de sal, principalmente sal processado. 

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com
EuAtleta Cristiane Perroni Nutricao Especialista (Foto: EuAtleta)
CRISTIANE PERRONI
Nutricionista formada pela UFRJ e pós-graduada em obesidade e emagrecimento. Tem especialização em nutrição clínica pela UFF, especialização em nutrição esportiva pela Universidade Estácio de Sá e trabalha com consultoria e assessoria na área de nutrição.


Fonte:http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/nutricao/noticia/2016/04/alimentos-com-potencial-inflamatorio-conheca-os-grandes-viloes-da-saude.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO PARA PREVENÇÃO E RISCOS NO CÂNCER

DIETA E CÂNCER  Qual o impacto da doença na saúde da população: No Brasil, a incidência de câncer se torna mais evidente à medida que ocorre o envelhecimento da população, resultado do processo de desenvolvimento econômico e social. Atualmente, o câncer é reconhecido como uma doença comum, representando a segunda principal causa de morte no país. Na faixa etária acima de 40 anos de idade é a principal causa de morte, sendo até 30% desses cânceres diretamente relacionados aos hábitos alimentares. FATORES DE RISCO PARA O CANCER  FumoDieta (rica em gorduras e carne vermelha)SedentarismoTrabalho em ambiente carcinogênicoHistória familiar para câncer
A dieta e a alimentação são considerados fatores de risco modificáveis, uma vez que os hábitos alimentares podem ser modificados através da adoção de um estilo de vida mais saudável. Mudanças na dieta que podem diminuir o risco de desenvolver câncer Atualmente, alguns alimentos contribuem para o desenvolvimento do câncer, enquanto outros podem con…

ORIGEM E HISTÓRIA DO VEGETARIANISMO

Definição Vegetarianismo ou vegetarismo é um regime alimentar baseado no consumo de alimentos de origem vegetal. Define-se como a prática de não comer qualquer tipo de animal, com ou sem uso de laticínios eovos[1][2] O vegetarianismo pode ser adotado por diferentes razões. Uma das principais é o respeito à vida dos animais. Tal motivação ética foi codificada em várias crenças religiosas juntamente com os direitos dos animais. Outras motivações estão relacionadas com a saúde, o meio ambiente, a estética e a economia. Existe uma grande variação de dietas vegetarianas em relação aos produtos que são ou não consumidos. A forma mais popular de vegetarianismo é o ovolactovegetarianismo, que exclui todos os tipos de carnes, mas inclui ovosleite e laticínios. Há também o lactovegetarianismo, que exclui todos os tipos de carne e também o ovo. Mas é consumido leite e os seus derivados. Outra forma de dieta vegetariana é o vegetarianismo estrito: neste, são excluídos todos os produtos de origem…

VEGANISMO OU MOVIMENTO VEGANO,AS RAZÓES ETÍCAS DO RESPEITO AOS DIREITOS DOS ANIMAIS E MEIO AMBIENTE

Veganismo é um movimento a respeito dos direitos animais e ambientais. Por razões éticas, os veganos são contra a exploração dos animais e do meio ambiente por meio da agropecuária. O boicote à atividades e produtos que são contra direitos dos animais e ambiente é uma das principais ações praticadas por quem adere ao movimento. Em 1997, três por cento dos Estados Unidos anunciaram não ter usado nenhum produto de origem animal nos últimos dois anos. Em 2007, dois por cento do Reino Unido se declararam como veganos. [1] O número de restaurantes veganos está crescendo, de acordo com o Oxford Companion to American Food and Drink (2007).[2] Tem sido mostrado que pessoas em dietas que incluem comidas de origem animal tem mais probabilidades de terem doenças degenerativas, principalmente doenças cardiovasculares.[3] A Associação Dietética Americana (The American Dietetic Association) e os Nutricionistas do Canadá (Dietitians of Canada) consideram a dieta vegana apropriada para todos os estági…